Mutualismo

Mutualismo: Relação durável entre duas espécieis, vantajosa para ambos. (Fonte: Larousse Cultural)

Ela era devastadoramente linda. Mas linda mesmo. Você poderia encontrá-la no metrô, ou passar por ela no parque, (e, acredite, você iria lembrar dela por semanas) mas com certeza não duvidaria se a visse na capa de uma revista de beleza. E lá estava Ele, com Ela.

As pessoas que viam aquele casal, não conseguiam explicar como duas pessoas tão diferentes (uma tão destacável e o outro, tão ordinário) formavam uma dupla tão harmônica. E eles de fato formavam. Isso porque eles precisavam um do outro, eles ofereciam um ao outro o que ninguém mais no mundo lhes servia, isolamento.

Ela, vivia rodeada de puxa-sacos. Do colega de emprego há 2 anos ao cobrador do ônibus, todo mundo parecia precisar impressioná-la. Assim, precisava dele, que não a elogiava o tempo todo, que a conhecia bem o bastante pra não querer impressioná-la. Ela não queria isso, estava de saco cheio disso e Ele era seu escape.

Por sua vez, Ele não tinha grandes aventuras na vida. Se sentia bem com as conversas despreocupadas com ela, e claro, fazia muito bem pra ele se ver ao lado dessa menina tão destacável da multidão. Esquecia suas preocupações, suas derrotas pessoais e tudo mais que uma pessoa comum tem que lidar.

Passeavam em lojas de roupa, Ela via vestidos caríssimos e dizia: “Imagina como eu ficaria nesse vestido pra sair com você. Pode me dar de presente.”. E iam pra Tok&Stok, Ele via quartos decorados e dizia: “Quando a gente casar, nossa casa poderá ser assim”. E ambos concordavam com as idéias um do outro. Nunca namoraram, claro. Tentaram uma vez e durou duas horas. “Um dos meus relacionamentos mais duradouros”, diz Ela. “Um dos meus relacionamentos. Um dos dois que eu já tive.”, diz Ele.

E, juntos, eles passavam a noite conversando. Ela contava dos 3 namorados do último mês e Ele, da pretendente dos últimos 3 anos. Interessava muito ouvir sobre uma vida tão diferente da sua própria. De como as coisas se resolviam fácil pra quem era bonita e de como a vida parecia desafiadora pra quem não tinha tanto destaque.

Ao fim da noite, estavam cansados um do outro. Como dois irmãos que se gostam muito e não podem passar algum tempo junto sem se baterem, eles se despediam. Agora mais tranquilos, mais aliviados e prontos pra voltarem pro mundo. Não se falariam tanto durante um tempo, até que fizessem falta. Até que tivessem de saco cheio da bajulação ou do tédio do outros.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s