Entre Devaneios e Quadris

Eram poltronas confortáveis e isso não era lá muito lógico. Por que alguém colocaria poltronas confortáveis em uma balada? Não é público alvo desses lugares pessoas que não gostem de estar lá, mas foram convidadas ou cederam à vontade de alguém. Isso o fazia pensar. Quantas pessoas iam às baladas e ficavam sentados nas poltronas, segurando as carteiras e celulares dos amigos? Seus pensamentos mudavam sem motivo nem sentido. Provavelmente um efeito da música eletrônica alucinada e repetitiva quase mais alta que os próprios pensamentos. Ou efeito do álcool que continha nas cervejas compradas ao longo da noite.  Definitivamente, era esse efeito que o mandara levantar e ir pra pista. Porque, ele não fazia idéia alguma.

Uma vez lá, no meio das pessoas que sabiam o que fazer ao som de psy, se aproximou dos amigos e começou a se mover timidamente e fora do ritmo. Seus amigos sorriam pra ele, felizes pelo “avanço”, porque não era legal convidar alguém pra ficar sentado e ambos os lados sabiam disso. Enquanto o som e o álcool assumiam mais o controle, ele se soltava e ligava menos pra quem o rodeava, seu círculo de amigos parecia se divertir e ele entrava na onda.

No embalo, nem percebeu quando uma garota se aproximou por trás e o virou pelo ombro, grudando-o com ela. Dançavam juntos e se aproximam mais duas amigas da primeira garota, também se envolvendo e dançando. Uma mistura de beijos, mãos, pernas, quadris, mais beijos e os devaneios dele iam a mil. Quanto aquelas garotas teriam bebido? Parte da sua cabeça afastava esses pensamentos e aproveitava o momento incrível, esperando que a música não acabasse nunca. Eram três garotas lindas, repetia pra si mesmo que poderiam ser as mais bonitas do lugar, provavelmente. Tudo isso passava pela sua cabeça enquanto ainda iam e vinham beijos, mãos, pernas e quadris incessantes, embalados pelo som altíssimo. E elas foram embora. Assim, tão rápido quanto tinham surgido e deixando-o tão estonteado quanto o momento em que o envolveram. Seus amigos o olhavam, de longe – tinha se afastado consideravelmente, sem mesmo perceber – sem ter o que dizer, boquiabertos. Riam e trocavam palavras que ele se aproximaria pra descobrir em breve, mas antes precisava se recompor.

Parou em frente ao espelho do banheiro, onde o som era abafado e podia organizar seus pensamentos. A leve embriaguez sumira completamente, estava em estado de alerta. Em um momento, estava em casa pensando em uma boa desculpa para rejeitar a saída e no outro, estava envolvido entre três garotas fantásticas que nem sabia o nome. Elas não o conheciam, elas realmente o haviam achado atraente. Era capaz de ir a uma pista de dança e dançar com garotas bonitas tanto quanto seus amigos. Realmente era uma epifania para mudar a vida dali pra frente. Não achava que começaria a freqüentar baladas todo fim de semana, mas a mudança ali era bem maior. Era interior, o que ele achava de si mesmo, de sua aparência e do que era capaz. Sentia vontade de começar já, de chutar a porta do banheiro e sair pra um mundo que encararia diferente, vontade de dizer a todos que estava diferente após uma experiência inédita. Era vontade de ligar pra quem ele admirava secretamente e dizer que poderia ser o suficiente pra ela. E precisava ligar naquele momento, afinal já estava no lugar onde o som atrapalhava menos. Vai sacar o celular e discar os números que sabia de cor. Apalpa os bolsos, porque estava com as coisas dos amigos e não lembrava em que bolso estava seu celular.

Seus bolsos estavam vazios.

Sem seu celular, sem os celulares dos amigos. Sem carteira nem dinheiro pra voltar pra casa. Quando assimilou os fatos, percebeu que havia sido assaltado pelas três garotas mais lindas daquele lugar, entre devaneios, beijos, mãos, pernas e quadris.

Anúncios

9 pensamentos sobre “Entre Devaneios e Quadris

  1. Texto muito bem narrado, muito criativo ein!

    Final massacrante, kkk eu que não queria estar na pele desse cara, espero que isso não tenha acontecido com vc! rs

    O blog tá cada dia melhor o/

  2. A surpresa é inevitável. Acredito que cada um tenha uma reação, mas o legal é que você é bom nisso Con, escrever!!!
    Pra ser sincera, eu ri. E como o Moreno, espero que isso não tenha acontecido com você.

    beijitos

  3. HAHAHAHAHHAHAHA

    Boa, muito boa. Mas evite repetir a frase, sem alterar em nada a sequência ou o ritmo, no caso você o fez com o título.Deixa a leitura enjoativa.

    Fora isso, ótima idéia ^^

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s