Mantendo as aparências

– O problema não é com você. Na verdade, nem comigo. São os outros.

Ele mal podia acreditar que estava ouvindo uma coisa dessas. Não entendia como um almoço com a namorada acabara virando um rompimento aparentemente sem motivo. Precisava entender:

– Como assim, os outros? O que têm os outros?

Ela continuava no que tinha planejado dizer, conhecendo-o tão bem que conseguia quase que prever as suas reações:

– As pessoas, principalmente as minhas amigas. Não gostam de você e ficam comentando, falando mal do nosso namoro. Não quero continuar namorando e ouvindo falarem de mim assim.

As coisas só pareciam piorar pra ele.

– Elas não gostam de mim? Que bom então que eu não namoro com suas amigas e sim com você. Você gosta de mim?

-É claro que sim, a gente tá junto, não tá?

– Pelo que eu to ouvindo, parece que não por muito tempo.

– Não fala assim. A gente pode continuar namorando… escondido. Só não conte pra aquele amigo seu, ele não sabe ficar quieto.

Parecia, então, que Ela estava oferecendo uma condição. Ele teria que colocar numa balança: de um lado, a garota que queria a tempos e que finalmente estavam juntos. Do outro lado da balança, simplesmente, sua dignidade. Pra ele, não era uma decisão tão óbvia quanto parece. Odiava ter que fazer escolhas. Resolveu insistir, tentando evitar essa encruzilhada:

– Namorar escondido? Você tem o que? 12 anos?

– Claro que não. Eu só não quero ficar mal falada por aí.

– Você percebe o quão ofensivo é isso? Não só você tá dando mais valor pro que elas falam do que pra mim, como tá concordando com elas e com essa tal “reputação ruim” que eu nem sabia que tinha, pra começo de conversa.

– E esse é o seu problema, você não liga pro que os outros falam! A vida se vive em sociedade. Você precisa saber o que acham e o que esperam de você.

– Então esse é o meu maior defeito e maior orgulho. Se você tem problema com isso, se acha que vale mais o que os outros pensam de nós, acima do que nós realmente somos, então não tem jeito.

– É! Não tem jeito.

E vai embora. Ela o deixa sentado, ainda processando o absurdo que acabara de ouvir e em partes, intrigado pra descobrir o que falavam tanto dele. Perdera a garota, não sabia como andava essa tal dignidade e sinceramente, não sabia nem se devia continuar sentado ali processando ou ir embora.

Enquanto eram jovens, ele não parecia ter se saído bem. Mal sabia Ele que alguns anos depois, estaria bem, namorando uma garota que surgira nessas confusões da vida enquanto Ela casaria prematuramente com um homem 20 anos mais velho, que a engravidara depois de “um caso escondido, pra que os vizinhos não falem mal”.

Anúncios

3 pensamentos sobre “Mantendo as aparências

  1. É incrível o quanto as pessoas se deixam levar pelo que os outros dizem e pensam.

    Claro que essa foi apenas uma desculpa, mas o problema de muitos casais são as pessoas que os cercam.

    Por isso eu não namoro! o/

    ahahhha (antes fosse xP)

  2. Véi, eu gostei muito do diálogo. O final foi um tanto quanto “óbvio” mas deu uma lição nessa gentinha que se importa tanto com a opinião pública.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s